Contratar um síndico profissional é uma despesa desnecessária ou pode ser uma vantagem para os moradores? Se você mora em condomínio, sabe que quase diariamente surge um problema para solucionar. Seja um visitante que estacionou em local proibido ou um vazamento do vizinho de cima. Há diversas responsabilidades que devem ser assumidas, situações a serem resolvidas e melhorias que devem entrar em ação imediatamente. Parece bastante? Talvez seja a hora de pedir ajuda de alguém de fora.

Síndico profissional é uma realidade

Não se trata apenas de modismo de grandes cidades, mas de um ramo profissional que surgiu a partir de uma necessidade. São vários fatores que influenciam na aposta da contratação de um síndico profissional, entre eles está a própria rotina dos moradores, a falta de tempo para uma gestão completa e a quantidade de responsabilidade.

Rotina dos moradores:

É comum que as pessoas tenham que equilibrar momentos de bem-estar com responsabilidades profissionais. Acordar cedo, ir para o trabalho, exercer funções profissionais em tempo integral e ainda conseguir tempo para praticar alguma atividade física, ter um hobbie ou até mesmo reunir a família são itens fundamentais, mas exigem planejamento e organização.

Com as horas cada vez mais escassas, assumir uma responsabilidade extra pode significar um desgaste ainda maior para o morador. Nem sempre a rotina corrida permite assumir uma função de síndico profissional, que engloba mais uma série de obrigações.

Falta de tempo para uma gestão completa:

Se, como falamos anteriormente, a rotina exige cada vez mais dedicação, nem sempre sobra tempo para fazer uma gestão completa do condomínio. O morador pode até conseguir desempenhar uma ou duas funções. Porém, muitas vezes, há várias ações acontecendo simultaneamente e exigem deslocamento e concentração.

É necessário pensar além dos pequenos problemas diários que devem ser solucionados e ver questões de fornecedores, colaboradores internos e mais. Nisso, se inclui a preocupação com segurança e tecnologias, o comportamento de outros moradores no uso das tecnologias implementadas, como fazer com que exista uma conscientização geral, etc.

Quantidade de responsabilidades:

A gestão completa envolve as atividades dentro e fora do condomínio. O que isso significa? Não basta consertar um vazamento, as responsabilidades vão desde certificações de segurança de uma obra até a contabilidade do que foi gasto com manutenção ou implementação de materiais e ferramentas.

A quantidade de responsabilidade é imensa. Saber como está sendo executado cada serviço prestado, se atende expectativas e se tudo está em ordem. Entre as responsabilidades, se introduz a capacitação. O síndico deve garantir o bom funcionamento e, para isso, deve ter disponibilidade para aprender sobre diversos assuntos.

Responsabilidades de um síndico profissional

Mesmo que não more no condomínio, o síndico profissional responde civil e criminalmente por ele. Porém, ao contrário de um morador, é um profissional preparado para lidar com as obrigações legais, questões contábeis e rotinas diárias. Há também benefícios que influenciam na própria interação interna. Com um síndico profissional assumindo a tarefa de resolver problemas e situações cotidianas, diminui também os atritos entre moradores, com maior rigidez no cumprimento do regimento e comando dos colaboradores terceirizados.

Qual a capacitação de um síndico profissional

A preparação do síndico profissional entra como uma vantagem. Atualmente, há diversos cursos voltados para otimizar a gestão de prédios oferecidos por associações, abordando temas práticos e que influenciam positivamente em questões reais. Deste modo, o síndico profissional traz ainda mais conhecimento sobre questões que irão beneficiar os moradores, desde a parte comercial e jurídica.

Com a profissionalização e capacitação, as decisões se tornam mais precisas e baseadas em argumentos técnicos. O profissional também deve cultivar determinadas características que ajudarão na convivência, como habilidade de comunicação clara, sem deixar ruídos para má interpretação. A flexibilidade e resiliência são mais duas capacidades: o profissional se adapta, é imparcial, leva em conta a realidade dos moradores e do condomínio e consegue realizar um trabalho mais eficiente.

A contratação de um síndico profissional significará um aumento na taxa do condomínio e das despesas da gestão. Mas independentemente do tamanho ou local, é justamente a gestão que ganhará benefícios. A profissionalização e a tomada de decisões tem como utilidade, principalmente, otimizar o condomínio de uma forma geral. O que significa também cuidar para que exista redução de custos. Por outro lado, impacta em reformas de urgência ou em aquisições e melhorias que os moradores irão usufruir.